Este blogue pretende ser uma montra de poemas e poetas de língua portuguesa.
NESTE MOMENTO O TOCA A ESCREVER É PATROCINADO POR ALGUMAS EDITORAS E AUTORES QUE OFERECEM LIVROS DE POESIA.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Sobre o amor e ilhas - FREDERICO SPENCER

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELO AUTOR
Podem conhecer o autor neste link

Aninhado o amor
é porto de velas vencidas:
sobre o mar acalmado, vento de branduras
na pele de areia e sol
no vermelho coração de fendas.
Aninhada a paixão
é barco sem prumo
no mar do coração,
boiando ilhas, na imensidão

pontos de partidas.

EM - ABRIL SITIADO - FREDERICO SPENCER - EDIÇÕES BAGAÇO

Malanjina - JOÃO TALA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELO POETA AMOSSE MUCAVELE

Vou de camuflado vou imune
visitar a malanjina
vou com a ciência dos amantes
não posso esperar
esperas criam cicatrizes
e eu já estou ingurgitado

ela engoliu-me a infância
cabe ainda no cheiro
procuro-a na sombra ou na pedra
onde quer que haja um lugar de leite.

EM - A ARQUEOLOGIA DA PALAVRA E A ANATOMIA DA LÍNGUA - ANTOLOGIA - REVISTA LITERATAS

terça-feira, 19 de setembro de 2017

A crítica - MANUEL FAVITA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Criticar não é só denunciar
O que está mal, também é sugerir
Como melhor fazer para atingir
Os fins que se pretendem alcançar.

Contestar sem mudança apontar
É de quem quer apenas denegrir,
E fica sempre aquém de onde pode ir
Quem é refém do medo de mudar.

Criticar é desejo de mudança
Sem a qual o progresso não avança.
Aos que para mudar nada lhes serve:

Os reféns de interesses instalados,
Refractários, servis, acomodados...
A esses, o progresso nada deve.

EM - A GRANDEZA DA MÃE - MANUEL FAVITA - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

Cantiga de amigo - SUPINO LATINO

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR CHIADO EDITORA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Tu és aquilo que ultrapassa o efémero,
Que me fazes ver que há Sol
Quando chove e está escuro.
És aquela borboleta clara
Que num piscar de olhos
Me levas
Para o melhor de mim.
E eu,
Logo que te contemplo no espelho de água,
Recebo a boa nova:
Inevitavelmente nós.

EM - NO COMEÇO DA NOVA TRAVESSIA - SUPINO LATINO - CHIADO EDITORA

Sou poema, e sou mulher - CARLA RIBEIRO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA AUTORA
Saibam sobra a autora neste link
Saibam sobre o livro neste link

Mulher de olhar que sorri
Para um mundo sem dono,
Um mundo ainda por descobrir,
Não sou poeta, mas sou poema,
Ainda em edificação, como um diamante
Ainda por lapidar.
Sou um mundo a descobrir,
Sou vida e sentimentos,
Sou um diamante em transformação.
Sou poema e sou Mulher,
Determinada e furacão,
Sem nunca esquecer
Que sou amor e razão,
Neste mundo em transformação.
Sou viver e sou sentir
E o muito que tenho ainda para descobrir.
Não sou poeta,
Sou Mulher e sou sorrir,
Sou poema, daquele olhar que sorri,
E do mundo que quero ainda descobrir...

EM - DESNUDO-ME EM PALAVRAS - CARLA RIBEIRO - MOSAICO DE PALAVRAS

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

24 - JOÃO AYRES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELO AUTOR
Saibam sobre o autor neste link
  
Já não mais vivo a febre de meus dias
Palavras distantes tomam agora o que resta de minha angústia
Fecho os olhos quando estou ainda mais insignificante do que os insetos
Estas manhãs senis que corroem minha alma em pouco a pouco.

Arrasto-me de um cômodo a outro com este jeito de morto-vivo
Afrontando a existência com o tênue fio do abandono
Estou ninguém sentado no escuro desta hora que me dilacera
Como uma porta entreaberta no infinito das vertigens.

EM - POEMAS ESCUROS - JOÃO AYRES - ARMAZÉM DE QUINQUILHARIAS E UTOPIAS

E o Tejo ali... - CELSO CORDEIRO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELO AUTOR
Podem saber do autor e adquirir o livro neste link

Se do Cais das Colunas te acercas
quando uma falua vires passar,
repara, não é gente que parte,
sou eu que me acerco para te olhar.

Se olhas o Tejo chegando ao mar,
não te iludas, não é o rio que ouves,
é apenas o meu calmo sussurrar
em teu ouvido juras de amor.

Se nas águas vires reflexo de luz,
acredita, não é da lua que vai alta,
é o brilho de paixão em meu olhar
porque te vejo, por tanto de amar.

EM - (CON)FUSÃO DE LETRAS - CELSO CORDEIRO - CHIADO EDITORA

Posse - GORETI DIAS

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELA AUTORA
Saibam mais da autora neste link
Podem adquirir o livro neste link

Visto-me na sumptuosidade da Lua
com tecidos de sombra e loucura!
Solto convites surdos, caprichos fantasiosos
de secretos anseios...
Pego fogo à pira das emoções,
na sede de te querer,
na fome de te possuir...
Penso-te no arrepio da minha pele,
possuo-te no desassossego
da minha saudade invertida!
Gotículas de prazeres mútuos
fogem de nós,
instalam-se na distância,
unem-se para lá das imposições.
Sinto o meu amplexo fluir sobre ti,
as bocas sofridas,
entreabertos,
os lábios gritam no instante sublime
do prazer consumado...
Na minha alienada cegueira,
a inquietação da tua ausência esbateu-se
e, na tentação dos sentidos,
contemplei-te através das doces carícias que te entreguei,
da união que projectei além de nós!

EM - LIVRO DO SONHO, DA SAUDADE E DA DESILUSÃO - GORETI DIAS - CUCA MACUCA

domingo, 17 de setembro de 2017

Perdões - HUGO VIEIRA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR CHIADO EDITORA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Desculpa o que fiz.
Desculpa o que faço.
Desculpa o que farei.

Desculpa a incerteza,
Desculpa o tempo escasso
Em que, para ti, era rei.

Desculpa a mentira
Que, parecendo para ti,
Era de mim para mim.

Desculpo a tua ira
Pois nos meus ombros suporto
A culpa deste fim.

EM - A CIDADE DA SAUDADE - HUGO VIEIRA - CHIADO EDITORA

Dia de anos - TERESA DUARTE REIS

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA AUTORA
Podem saber da autora e adquirir o livro neste link

O medo instalou-se no íntimo do tormento
Desfazendo as esperanças
Triturando e corroendo as réstias pouco restadas
Do sorriso e do conforto
E a acabrunhice do viver (que quase não tem viço, nem vício, só desperdício)
Contornando as aparas do ar ressequido
Do acabrunhamento
Do sol-posto ou do tinteiro decomposto
Com que se alinhavam dizeres
Impurgados de sofrimentos

                    São aqueles dias
                    Que muitos desvivi já
                    Em que a mente desalheia
                    Se esvai e se desperdiça
                    Que nem sinto que sou
                    E muito menos quem serei!

EM - PORQUE OS SILÊNCIOS TAMBÉM SE ESCREVEM - TERESA DUARTE REIS - EDIÇÃO DE AUTOR

Hesychia - TIAGO MOITA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR CHIADO EDITORA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Medes o peso das palavras
segundo a palpitação do sono
calculas a distância das sílabas
com a respiração dos abismos
ocultos nas raízes sanguíneas
dos espelhos

Semeias koans nas lacunas dos verbos
antes da monção das lâmpadas,
inseminação cósmica de substantivos
mudos à cacofonia das gramáticas

Habitas nos sussurros dos adjectivos
onde revelas os enigmas nas orações
tatuadas na epiderme dos sentidos
cegos de nada pensar

Descreves a sinfonia do movimento híbrido
das linguagens
antes da fermentação das frases
com um ruído de fundo tântrico
decifrado pelos murmúrios das legendas

EM - METANOIA - TIAGO MOITA - CHIADO EDITORA

sábado, 16 de setembro de 2017

Desconhecidos seres - BERNADETE BRUTO

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA AUTORA
Podem saber da autora neste link

Tantas árvores
na minha vista
muitas reconheço
poucas sei o nome...
com as pessoas
é bem pior!
passam por mim
pelas ruas
ao meu redor
não as conheço
como irmão
nem as reconheço!

EM - QUERIDO DIÁRIO PEREGRINO - BERNADETE BRUTO - NOVO ESTILO EDIÇÕES DE AUTOR

Vento leste - JOSÉ LUIZ MELO

Havia um corpo de mulher boiando,
naufragado no mar e insubmerso,
no balanço das ondas balançando,
sem gravidade, solto no Universo.

Mas, houve um vento leste que soprando,
O corpo-morno-amor em bruma imerso,
na praia calva o trouxe flutuando,
nos afagos da tarde submerso.

Então, a carne mansa se fez alga,
(água salgada), e a alga fez-se areia,
E areia alva fez-se pedra e mágoa.

Depois,na mesa, a imagem se fez ceia,
De puríssimas almas e arrecifes:
- As pupilas e os cílios do Recife.

EM - LIVRO DOS SONETOS, DOS PRIMEIROS AOS PENÚLTIMOS - JOSÉ LUIZ MELO - NOVO ESTILO EDIÇÕES DE AUTOR

Simplesmente... fiquei... - PAULO GALHETO MIGUEL

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Foi um misto de nostalgia e revolta...
Este pedaço de corpo em que me achei...
Este mesmo bote que ruma, amargo, sem precedentes...
Amargo de tudo...
Da própria forma das coisas...
Da própria opinião, não da dos outros...
Como quem lida com a vida que não gosta...
Nos dias cinza de chuva...
Sem buscar elogios nem fama...
Perco-me, onde o instinto faminto é mais puro...
Sem ser como as estrelas...

Acharei um dia... o meu pedaço de CÉU!...

EM - VOZES QUE SANGRAM - PAULO GALHETO MIGUEL - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

X - CIDA PEDROSA

LIVRO GENTILMENTE CEDIDO PELA AUTORA
Podem saber da autora neste link

Ouvi dizer que teu segredo é a flor
Regada por água do corpo jorrada
Pequena oferta da terra molhada
A quem voa, é igual, sem ter pudor
Buscando roteiros que levem amor
Navego no meu barco rumo ao teu mar
Eu quero ser teu par e em ti me embalar
Levando o segredo bem junto ao rosto
Sentindo teu cheiro, bebendo teu gosto
Feliz respirando o teu respirar

Mote de Maviel Melo

EM - CLARANÃ - CIDA PEDROSA - CONFRARIA DO VENTO

Frio - CLÁUDIO PORTELLA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO PELO AUTOR
Podem saber do autor e adquirir o livro neste link

Os meus cinco sentidos,
me fazem perceber
o que você esqueceu.
Eu ligando os pontos,
contando os dedos,
ensaiando o discurso
para quando for chegada a hora
dos meus quinze minutos de fama
ser transitório e amarelo
feito seu pulôver azul.

EM - PARAPHOESIA - CLÁUDIO PORTELLA - EDIÇÕES CP

Não sou o poema - GABRIELA ALMEIDA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR CHIADO EDITORA
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Não sou o poema
Disso tenho pena!
Mas tenho o poder
De contar a história!
Enredar dilema
Sentir a memória,
Palavras escolher
E narrar o tema.

Eu não sou o mundo
Nem sequer o espaço!
Conheço a lua
Não sei onde é Marte!
Mas bem lá no fundo
O mundo é um regaço
População sua
Dele eu faço parte!

EM - O SENTIMENTO E A TRADIÇÃO - GABRIELA ALMEIDA - CHIADO EDITORA

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

É no silêncio - ANTÓNIO MANUEL ESTEVES HENRIQUES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR CHIADO EDITORA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

É no silêncio
Das palavras que não dissemos
Dos beijos que não demos
Dos olhares que não trocamos
Das carícias que não fizemos
Que o meu amor por ti
É mais forte, mais puro, mais belo
É no silêncio
Que por ti, choro, imploro
E devagar vou morrendo
Sempre à tua espera
No silêncio
Meu amor!

EM - PEDAÇOS DE MIM, O POETA E A VIDA - ANTÓNIO MANUEL ESTEVES HENRIQUES - CHIADO EDITORA

A paixão é insensata - CARLOS PAIVA

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

A paixão é insensata,
não nos olha de lado,
nem é acto pensado,
faz agir por impulso.
É pintura é poesia,
pode ser mar, ou maresia.

A paixão é oposto da razão,
não tem verso e reverso.
É um sentir controverso,
que nos põe a sonhar,
num jardim imaginário,
cheio de malmequeres,
das cores que tu souberes.

EM - TANTO MAR - CARLOS PAIVA - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA

Meus beijos - PAULO GOMES

LIVRO GENTILMENTE OFERECIDO POR EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA
Saibam sobre o autor neste link
Saibam sobre o livro neste link
Conheçam a editora neste link

Perguntei a esta nuvem se sabia do meu Amor
A resposta foi que não sabia quem era
Insisti e perguntei então ao vento, por favor
Estava com tanta pressa, tive de ficar à espera

Então ao Sol perguntei, totalmente desesperado
O Sol sorriu e com muita alegria, muito brilhou
Sim, sei quem é o teu Amor, de quem estás enamorado
Todos os dias a vejo e os teus beijos lhe dou

EM - QUADRAS DE AMOR VOL. I - PAULO GOMES - EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA